Se Não Te Ajudas, Eu Que Não Vou Te Ajudar!

Sumi por uns dias, mas é que ontem eu dei aulas, e hoje pela manhã ( terça 19/08/08 ) fui até um Lugar chamado “Comunidade Bethânia” em São João Batista. O lugar, pelo que haviam me falado, era para recuperar dependentes químicos, algo que devo admitir não acredito que funcione, ou melhor não acreditava… A viajem em si deve algumas desventuras que pretendo postar em separado.

Chegando lá já fiquei surpreso um local belíssimo! Limpo, cheio de bichos, plantas, parecia quase um hotel fazenda. Ok, eu pensei, o lugar é lindo, mas e os “recuperados”?

A língua paga, nenhum maluco, nenhum personagem batido tipo novela/filme sobre o tema.

Uma gurizada jovem (com alguns senhores) e, pasmem, recuperados, interessados em estudar em retirar seu diploma de ensino médio. Para terem idéia a aula rolou a manhã toda e ninguém faltou para ver o jogo da Argentina, digo Brasil. Cara ou esses guris tiveram uma premonição da bosta que seria o jogo ou estavam realmente aplicados, eu apostaria B, eu sei, eu estava lá.

Não sei como explicar o lugar só visitando mesmo, mas o fato é que lá os tratados entram voluntariamente, nada de família obrigando o moleque a ficar, nada de muros altos, ou policiais, ali é um lugar que os jovens rezam (é vinculado a igreja católica), ocupam seu tempo, aprendem uma profissão, etc… Ocupam sua cabeça e esquecem os vícios. Eu penso assim: se a pessoa quer se ajudar deve ser ajudada, se o cara não quer ajuda FO**-SE. E essa comunidade emprega essa máxima. Leio o trecho retirado do site deles:

Bethânia não é um centro de recuperação de drogados e nem uma clínica onde se internam pessoas para tratamento.
Bethânia é “Comunidade de acolhimento”. Nós não curamos ninguém! Este é um trabalho que deverá ser feito por cada um. Nós somos colaboradores no processo.

http://www.bethania.com.br/pt/home/

A comunidade é um local de gente guerreira e curada ou a caminho disso… Um exemplo a ser seguido. Lá não vivem só os “acolhidos”, mas padres, um professor voluntario da região, as famílias de alguns, mesmo que nunca tendo contato com a droga acompanham seu familiar. Sei lá o post não saiu como queria, mas o básico foi passado, eu vi algo que mudou meus conceitos e gostei!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: