Mais Uma Sobre Traição

Naty* namorava André*, este no primeiro mês de namoro chegou para Naty e disse:
-Eu sei que estás me traindo como Giba*.
-Hã? Como assim? Quem falou esse absurdo!
-Ninguem me falou eu sinto!
-Acho que seus sentidos é que estão te enganando, e não eu.

O debate não passou disso, mas ficou constante, toda semana o assunto vinha a tona, André sempre nos momentos mais aleatórios possíveis a acusava. Era na fila do cinema, depois do sexo, durante o sexo, na missa, saltando de para-quedas (exagerei… Mas deu pra sacar). O papo não evoluía.

Um belo dia ele chega com seu grande plano!

– Olha Naty agora você pode me contar a verdade que eu vou te perdoar, ontem fiquei com a Paty, foi só uns beijos, não se preocupe, mas fiz isso por nós! Para ficarmos “kits”…
Naty chocada… Ele continua.
-Vai Naty admite! Agora somos iguais!
-André eu admito, eu aturava sua loucura porque te amava, e tem coisas que não se escolhe… Vou ser sincera, estava pensando até em me casar com você… Mas agora está tudo acabado, suma de minha vida! Você pode até me perdoar, apesar de não precisar disso, mas eu não vou perdoar sua traição…
(isso com muitos palavrões, mas tem crianças lendo isso aqui).

Um debate fútil prosseguiu, por quase uma hora, nada útil saiu dali, e quando terminou André se sentia um lixo, se odiando muito, por meses não ficou com ninguém, não saiu de casa, perdeu o emprego…

Quando finalmente saiu de casa encontrou sua ex-namorada Naty aos beijos em uma festa com o Giba, mais alguns meses de depressão, ele não só tinha perdido uma mulher perfeita, mas inconscientemente direcionou a moça para os braços de seu ex-amigo…

A história poderia terminar aqui, que já ilustrava o que tenho a dizer, mas agora que comecei vou terminar…

O que poucos sabem, é que meses antes quando a briga e o fim do namoro ocorreram, Naty, após expulsar André de sua casa, sentou brava e nervosa no sofá, suas mãos tremiam, e seus labios xingavam compulsivamente André. Só uma coisa iria acalma-la o Giba, menino que ela ficava antes, durante e depois deste namoro, que pra ela sempre foi apenas uma brincadeira…

———————-
*Mudei os nomes, obviamente.

Sobre traição acho que existem três tipos de pessoas (tabela Unissex):

1- Os Normais: os mais comuns, só traem se faltar “algo em casa”.

2- Os(As) galinhas: Traem. PONTO.

3- Os(As) Patos(as): Sacaneados, pisados, traídos abertamente, nada disso basta, continuam aceitando e perdoando seus algozes!

sim existem as pessoas normais, que não se vingam apenas terminam, mas a tabela acima é sobre quem trai, logo.

O caso que inicia o post é bizarramente real, e o motivo, por incrível que pareça, era o caso um (que dois que nada), a menina amava um menino que a queria só para… é um… esportes horizontais… isso, esportes horizontais é ótimo, mas ela sentia falta de passear, namorar, carinhos, etc… Não tinha em casa foi procurar na rua, e até onde entendo era comodo para o amante, que nada gastava (nem motel, ele tinha uma casa liberal e um quarto único), nem passeava com ela pela rua (devo admitir não era assim uma brastemp essa menina) e só aproveitava a faixa boa do cd…

Homens e mulheres traem, em 5 anos trabalhando em colégios, as coisas que escuto me provam isso, a diferença é que mulher quando faz, faz bem feito, e o homem faz mal feito, porque se for descoberta a mulher vira galinha, e o cara garanhão…

Mundo injusto esse… Para os homens, para as mulheres e para os chifrudos…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: