Minha Experiencia com RPG – Part 2 (Aventura)

Segunda parte do “artigo” sobre como comecei no RPG, se não leu a parte um vá mais para baixo.

para ler a segunda parte, clique abaixo:

A primeira parte foi convencer os amigos a participar do novo jogo, mas isso foi fácil, o difícil era explicar como iria ser o jogo, pois nem eu tinha certeza de como iria ser, no fim usei a clássica “é mais fácil entender jogando”, e expliquei que cada um iria ser um aventureiro medieval e o que isso realmente significava, pra quem brincava de luta de espada foi bem tranqüilo (por sinal uma brincadeira doida essa, principalmente quando as espadas de madeira batiam nos dedos), a ficha do jogo era bem simples de montar ao invés do sistema de pontos usei o sistema aleatório onde cada um rolava 1d6 por atributo e ficava com o que saia com personagem (nada equilibrados entre si) prontos, na verdade um monte de números sem profundidade alguma.

A aventura em si era um show a parte pois eu não sabia como isso funcionava então fiz como achei que fosse, na noite anterior ao jogo eu desenhei um mapa com vila, castelo, caverna, lago, etc. Em cada localidade coloquei uma folha separada o que iria ser encontrado ali, normalmente monstros e tesouros. Até ai tudo bem, mas na hora de jogar a primeira coisa que era feita era uma rolagem de iniciativa, a maior iniciativa ficava na mesa os outros iam pra uma área que nada ouviam, o primeiro dizia pra onde ia ir, e saia vinha o próximo fazia o mesmo e até o ultimo, quando voltasse para o primeiro se ele se encontrasse com alguem, esse alguem era chamado e os dois passavam a ter a mesma iniciativa, e cada mini-grupo passava a enfrentar os desafios, ou morriam tentando. As primeiras “aventuras” foram no minimo engraçadas, mas ficou bem previsível no fim, onde o mais forte comandava os mais fracos, ou os matava.

Obvio que concomitantemente a isso eu continuei a minha leitura sobre RPG, este foi o tema que mais pesquisei na pré-adolescência (na verdade o segundo tema que mais pesquisei, sabe como é essa fase…) sendo assim matérias sobre o assunto, sistemas independentes (muito populares na época) e material gratuito em geral entupiam meu pequeno HD.

A idéia da “aventura de mapa” durou mais alguns poucos meses, eu até tentei fazer com que cada lugar do mapa houvesse uma pista para um lugar secreto cheio de tesouro assim em poucas rodadas estavam todos juntos, não deu certo, o grupo se encontrou e se matou pra ver quem ia pegar o tesouro lendário, o que sobrou vivo um dragão (dono do tesouro) comeu. Foi a ultima aventura no estilo.

Tentei iniciar aventuras com grupo unido, mas sempre haviam desavenças e mortes dentro do grupo. Parei alguns meses de mestrar, e pensei bastante no assunto.

Comecei a copiar descaradamente vários sistemas independentes (para uso próprio) e comecei a criar o meu sistema, algo que se adaptasse ao meu gosto e de meus jogadores. Mas eu precisava de um tema para este RPG, algo diferente que agradasse a todos. Foi quando um dia percebi que “meu grupo” não perdia um episódio de Dragon Ball Z na band. Estava feito.

O sistema era simples usava 2d6s e era baseado no fato de tirando o numero menor ou igual ao atributo você era bem sucedido, no inicio o sistema era difícil, pois os atributos eram baixos, mas o sistema pra se adequar ao anime tinha uma evolução bem rápida. Muitas anotações desta época (dos elementos do anime) eu vim a usar posteriormente (aguarde a terceira e penúltima parte). O fato é que foi uma campanha de mais de dois meses (uma bela evolução já que antes era um personagem por aventura), nestes dois meses a semana que menos jogamos, foram as que jogamos uma vez (e viva as ferias escolares), ali já eramos um grupo de verdade e aquilo já era RPG, pois além da luta em si, também tinha interpretação, decisões morais e visitas ao velho sábio da montanha que respondia três perguntas (só três? Agora duas. Mas porque? Porque você esta gastando suas perguntas, falta uma. Isso não vale? Sim vale, agora saia).

Foi o fim dos sistemas proprios, mas foi divertido, proximo passo os livros de RPG, mas isso está na terceira e penultima parte deste mega relato!

Anúncios

2 Responses to Minha Experiencia com RPG – Part 2 (Aventura)

  1. O_O disse:

    Como era o sistema mais especificamente fiquei curioso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: